Tem sido nossa preocupação escrever[1] acerca das competências que consideramos relevantes para se empreender com sucesso e com sustentabilidade, nos seus três pilares fundamentais – económico, social e ambiental.

Desde o respeito, passando pelo medo e pela humildade. Fazendo apelo à necessidade de perseguir o sonho e de atuar com bondade e com lealdade; agindo em cooperação e fazendo do sucesso e da qualidade uma marca; assim como, da relevância de empreender tendo como meta o desenvolvimento no quadro da globalização, promovendo a mudança no respeito pela diversidade e tendo sempre como premissa educar.

Ao longo do tempo em que fomos debatendo e priorizando a arte de empreender de forma sólida e sustentada, tivemos sempre como pressuposto razoável que qualquer empreendedor tem de conceber adequadamente a identidade da organização, ter uma visão e uma missão onde inclua os valores e as suas crenças.

Ao formular e ao dar resposta às questões – Quem Somos? Qual é a nossa visão? E a nossa missão? – conseguirá, paulatinamente, ir crescendo e alargando a sua influência, pois irá conquistando mais clientes e aumentando o sucesso do negócio.

Mas para que tudo isto consiga ser feito de forma favorável é desejável que o empreendedor tenha adquirido ao longo do seu processo formal de aprendizagem as ferramentas pedagógicas e metodológicas que lhe permitam inovar e criar, por forma a poder acompanhar os desafios do mercado em constante mudança.

Paralelamente, ao evoluir no percurso educativo o empoderamento do empreendedor vai acontecendo de forma natural em virtude de ter, desta forma, acesso à liberdade intelectual que lhe permitirá não depender de ninguém, a não ser da sua livre expressão e do seu génio, para poder empreender no seu percurso empresarial, nos termos da visão e da missão que concebeu para a sua organização.

Na sua génese o empreendedor promove a mudança, quer seja por introduzir ideais e produtos novos no mercado, quer seja pelo carácter disruptivo com que interage com os outros e que faz com que a sua organização seja uma permanente fonte de inovação e de criatividade.

A liberdade empodera o empreendedor, pois ao ser livre está apto a desenvolver com total autonomia a sua organização, dotando-se das competências relevantes para tal empreitada. Razão pela qual, só é possível empreender verdadeiramente com total liberdade tendo acedido a um percurso educativo onde impere a promoção da tolerância e da independência.

O empoderamento do empreendedor através da liberdade é assim condição sine qua non para o sucesso na arte de empreender!

[1] http://linktoleaders.com/?s=teresa+dam%C3%A1sio&orderby=post_date

 

Artigo publicado em Link to Leaders a 07/12/2018