O empoderamento através da educação

Nov 6, 2018

A educação[1] está prevista e estatuída no artigo 26.º da Declaração Universal dos Direitos Humanos e é tida pelos organizamos internacionais, pelos governos dos Estados Membros das Nações Unidas e por todas as cidadãs e cidadãos como a única forma que existe em termos mundiais de promover a Igualdade, a Justiça Social e a Solidariedade.

Mas, principalmente é tida por todas e por todos como o instrumento principal de alavanca ao crescimento económico e ao desenvolvimento sustentável.

Nesse sentido, as políticas públicas no âmbito da educação, estejamos a falar de ensino superior ou de ensino não superior, são tidas como essenciais para se conseguir atingir as metas que cada Estado impõe para a criação de emprego e, a contrario sensu, fundamentais para a redução do desemprego.

A União Europeia é disso exemplo quando criou, em 2000, durante a presidência portuguesa, a Estratégia de Lisboa[2] para alicerçar o crescimento económico e o desenvolvimento da investigação e da ciência. Em 2005, assistimos ao seu relançamento, a que a União apelidou de Europa 2020[3], que se focalizou no crescimento da economia digital e na modernização da educação e da formação, na promoção das indústrias com baixas emissões de carbono e manteve a aposta no investimento na investigação.

O início do século XXI significou, assim, a concretização daquilo de que se vinha falando desde as duas últimas décadas do século XX em que era dada à educação e à formação a relevância de serem a solução para os problemas endémicos do desemprego, em termos gerais, e na juventude, em termos particulares.

Ao longo dos últimos anos, e principalmente com a consolidação da implementação do Processo de Bolonha, verificamos que houve uma alteração significativa e muito positiva nas qualificações dos jovens europeus. Em Portugal isso é particularmente visível quando analisamos os dados do PISA[4] – The Programme for International Student Assessment – e podemos concluir que as políticas públicas no domínio da educação têm tido um impacto favorável nas capacitações dos estudantes portugueses.

Assim, concluímos que a educação é de facto, até aos dias de hoje, a melhor forma de promover o empoderamento do ser humano e que o melhor desígnio individual que pode existir é desejar a conclusão dos graus existentes no âmbito do respetivo sistema educativo, pois só assim poderá haver a maximização do empoderamento daquela!

Para além disso, este empoderamento individual terá naturalmente um impacto em termos coletivos e isso é uma condição sine qua non necessária para todas as sociedades crescerem e se desenvolverem!

[1] Artigo 26.º
Toda a pessoa tem direito à educação. A educação deve ser gratuita, pelo menos a correspondente ao ensino elementar fundamental. O ensino elementar é obrigatório. O ensino técnico e profissional deve ser generalizado; o acesso aos estudos superiores deve estar aberto a todos em plena igualdade, em função do seu mérito.

A educação deve visar à plena expansão da personalidade humana e ao reforço dos direitos do homem e das liberdades fundamentais e deve favorecer a compreensão, a tolerância e a amizade entre todas as nações e todos os grupos raciais ou religiosos, bem como o desenvolvimento das atividades das Nações Unidas para a manutenção da paz.

Aos pais pertence a prioridade do direito de escolher o género de educação a dar aos filhos.

[2] http://www.eurocid.pt/pls/wsd/wsdwcot0.detalhe_area?p_cot_id=5294&p_est_id=11348
[3] http://www.eurocid.pt/pls/wsd/wsdwcot0.detalhe_area?p_cot_id=4810
[4] http://www.oecd.org/pisa/

Outras Notícias

Feira de Educação – Bicentenário da Independência do Brasil

Feira de Educação – Bicentenário da Independência do Brasil

A Senhora Administradora do Grupo Ensinus, Dra. Teresa do Rosário Damásio, estará hoje presente, 23 de junho, pelas 15h45, na Feira de Educação – Bicentenário da Independência do Brasil. A sua intervenção está integrada na Mesa Redonda “200 Anos de Mulheres” e conta...

Dra. Teresa Damásio em entrevista à Mais Educativa

Dra. Teresa Damásio em entrevista à Mais Educativa

A Dra. Teresa do Rosário Damásio, Administradora do Grupo Ensinus cedeu uma Entrevista ao GUIA da FORMAÇÃO PROFISSIONAL 2022/2023, na edição de Maio 2022 da Mais Educativa. Queres saber mais sobre as vantagens deste ensino? Esta entrevista poderá ajudar-te!...

Grupo Ensinus na NAFSA  – Association of International Educators

Grupo Ensinus na NAFSA – Association of International Educators

O Grupo Ensinus vai estar presente na NAFSA - Association of International Educators, através da presença do ISG|Business and Economics School, no Pavilhão Study & Research in Portugal, de 31 de maio a 3 de junho de 2022. A Senhora Administradora do Grupo Ensinus,...

Encontro entre Entidades Protocoladas do Projeto ENSINUS+

Encontro entre Entidades Protocoladas do Projeto ENSINUS+

Ainda no rescaldo das comemorações do Dia de África, o Instituto Superior de Gestão assinalou a efeméride com um encontro entre todas as Entidades protocoladas do PROJETO ENSINUS +. Este Projeto visa promover o acesso e paridade na Educação, por parte de comunidades...

Dra. Teresa Damásio em entrevista ao Podcast AADUL

Dra. Teresa Damásio em entrevista ao Podcast AADUL

A Senhora Administradora do Grupo Ensinus, Dra. Teresa do Rosário Damásio esteve presente em entrevista no Podcast AADUL. Este podcast da Associação Académica de Direito da Universidade Lusófona trata de diversos temas com variados convidados, no mundo jurídico e não...